Close

November 28, 2016

Usar o Agir para criticar o mau trabalho dos encarregados de educação não é justo.

Aqui fica a minha análise ao texto viral do Sr. João António Antas ( Ler Aqui )

Quando me cruzei com este texto já o mesmo caminhava a passos largos para as 10 mil partilhas. Custa-me engolir que tanta gente se identifique com um texto que para criticar o mau trabalho dos encarregados de educação usa um artista que nada tem a ver com o assunto.

Portugal não está preparado para aceitar quem escolheu tatuar partes do corpo sempre visíveis e colocar uns enormes alargadores nas orelhas. Tenho a certeza de que se ele tivesse mantido uma imagem socialmente aceite esta polémica não existia. Pois a avalanche de partilhas são maioritariamente preconceituosas e regadas com idiotice.

agir_face

Na minha opinião o Agir é um músico de excelência que escreve e compõe o que lhe vai na alma.
Quando alguém escreve levianamente que as canções do Agir são “cantigas, fáceis para um ouvido destreinado de qualquer futuro amante de música, com muitas batidas ritmadas.”

Fico deveras irritado porque estes cidadãos do escárnio e maldizer não têm a mínima noção do que é ser musico compositor. Não têm a noção da genialidade que é necessária para se compor e interpretar uma canção que toque de imediato as pessoas e que elas a levem consigo.

O Sr. João Antas terá soprado para uma flauta de bisel e acha que pode avaliar destrutivamente o trabalho de um artista.
Criticas desta natureza encontramos a toda hora para qualquer artista português que consiga ter alguma projeção. Enfim, são estas as mentalidades que temos tentar alterar

Aos dias de hoje quando alguns pais autorizam que os seus filhos faltem à escola para ir dormir à porta de uma sala de espetáculos a grande maioria conclui que os encarregados da educação estão a fazer um mau trabalho. Mas quando o Sr. João Antas aponta como solução Aulas de religião e moral partiu-me o pescoço.

Religião?

As crianças necessitam é de aulas de cidadania para ver se ensinam alguma coisa aos pais e aos avós. As crianças não necessitam que se comentam os mesmos erros e se continue a fomentar a ignorância com essas imposições de aulas de religião.

Por favor vão lá ler o texto outra vez e vão ver que é apenas um texto tacanho, mesquinho e preconceituoso.

Aproveitem e vão ouvir todas as outras musicas do Agir que não as mencionadas para formarem a vossa opinião.