Close

January 12, 2015

Profundómetro Oferece-se

 

Ricardo Araújo Pereira hoje na mixórdia de temáticas como já nos vêm habituando têm mais um rasgo de genialidade.
Fala de uma invenção que aos dias de hoje faz muita falta, o profundómetro. Aparelho que mede quais são as convicções pessoais mais profundas e com as quais ninguém pode brincar.
Essa medição é feita com a introdução do profundómetro pelo esfíncter a dentro seguido de profundos pensamentos em crenças. Se o profundómetro brilhar essa é uma convicção com que ninguém pode brincar.

Portugal está dividido, temos os Gugu’s que acham que os Jornalistas do Charlie Hebdo se puseram a jeito e deviam ter sido mais contidos nas suas edições.
Do outro lado temos os Charlies que desabrocharam ao sabor das balas dos supostos terroristas.

Aos Gugu’s ofereço um profundómetro para medirem diariamente as suas crenças e quando detectarem que alguém as está a ferir, mudem de canal, não leiam, mudem de pagina, façam scroll down.

Aos Charlies ofereço também um profundómetro para medirem se essa crença de que agora se lembraram que existe, a liberdade de expressão não lhes foi já várias vezes usurpada.
Se acham que não, então digo-vos que andam a viver uma mentira.

O Mundo não está preparado para Charlies. Qualquer humorista, trolha, presidente, médico,motorista que não use filtros na sua postura, posições, elações,publicações será automaticamente chacinado.
Caso este processo não ocorra naturalmente os Clubes Bilderberg insurgem para terminar com potenciais ameaças. O tempo de antena massivo não pode estar acessível a qualquer um. Nunca se sabe quando uma frase pode despoletar sinapses nos três neurónios em uso.

Eu não sou Charlie, sim uso filtros para me proteger, os portugueses/o mundo não está preparado para receber a verdadeira liberdade de expressão. Mas tenho um enorme orgulho pois tenho os meus filtros com alguma abertura, mas numa coisa os Gugu’s têm razão estou a por-me a jeito…