Close

June 27, 2015

O Gato está a arder, não atirem gasolina para apagar as chamas.

 

 

ogato

Hoje cruzei-me com este gato que voluntariamente descansava nesta cesta, pensei de imediato.

“- Ainda bem que não estamos em Vila Flor, caso contrário já estarias empoleirado num mastro em chamas.”

É muito triste constatar que existem em Portugal povoações com seres humanos desprovidos de capacidade cognitiva que lhes permita analisar que não é correcto promover festejos com rituais de tortura a animais.

O nosso código penal prevê a punição para estes actos, mas todos se esquecem que é necessário instruir estas pessoas que estão a cometer um acto bárbaro. É necessário ensinar os filhos destas pessoas para que quando conversem sobre a queima do gato os petizes envergonhem os seus progenitores.

O que mudará se apenas multarmos ou prendermos aquelas pessoas ? Na minha opinião apenas tornaria os rituais ainda mais apetecíveis para quem o intestino têm algum tipo de ligação ao cérebro. Conseguir interromper esta ligação é um processo muito moroso e não se consegue apenas com punição.
O desafio é que estas tradições acabem porque ninguém as quer realizar e não porque são proibidas. Isso sim é evolução civilizacional.

Exterminadores implacáveis das caixas de comentários, escrever que vão espancar habitantes de Vila Flor ou contratar Vlad o empalador para lhes provocar uma morte lenta e agonizante é apenas atirar gasolina para cima do fogo que queima o pobre animal.
O que nos vale é que estes mercenários das redes sociais têm preguiça de se levantar do sofá.
Respirem mais um pouco e sejam menos reactivos. Mostrem a vossa indignação com civismo, pois está à vista que Portugal bem precisa.

Parem por favor com os comentários carregados de ódio e desejos de morte. Poderão estes actos ser puníveis no nosso código penal ?

“Artigo 236.º

(Incitamento à guerra)
Quem, pública e repetidamente, incitar ao ódio contra um povo, com intenção de desencadear uma guerra, é punido com pena de prisão de 6 meses a 3 anos.”

Punível ou não é garantido que também são medievais, só faltam as forquilhas e tochas em formato virtual.

Que não caia no esquecimento da comunicação social e que venha a publico o desfecho destes acontecimentos.